Lygia Fagundes Telles: mestra em explorar os labirintos da alma

Lygia Fagundes Telles: mestra em explorar os labirintos da alma

A “dama da literatura brasileira”, Lygia Fagundes Telles, faria aniversário hoje. A escritora teceu uma obra que mergulha na mente e alma humana de forma ímpar. 

Nascida em 1923, em São Paulo, Lygia não apenas captura os fragmentos da existência, mas também os entrelaça em narrativas densas e profundamente cativantes.

A importância de Lygia Fagundes Telles

Romancista e contista, teve grande significado no movimento Pós-Modernista, sendo membro das Academias Paulista e Brasileira de Letras e da Academia de Ciências de Lisboa. 

Suas obras são marcadas pela profunda introspecção psicológica e uma habilidade magistral para explorar as nuances dos relacionamentos humanos.

Alguns dos aspectos mais notáveis da escrita de Lygia são o uso de realismo mágico, sem perder a visão política e social de seu tempo. Como ela mesmo dizia: “Sou, como escritora, uma testemunha desse nosso tempo e dessa nossa sociedade”.

Ocupante da cadeira nº16 da Academia Brasileira de Letras (ABL), Lygia publicou seu primeiro livro, “Porão e Sobrados”, aos 15 anos, com ajuda financeira de seu pai. Dali para frente, nunca mais parou de escrever, inclusive abandonou a carreira no Direito para dedicar-se à escrita. 

Seu primeiro romance, “Ciranda de Pedra”, publicado em 1954, é uma das obras mais consagradas da literatura de Lygia — junto de outros livros, como “As Meninas” e “Antes do Baile Verde”. 

Sua escrita é permeada por uma sensibilidade poética e uma atenção meticulosa aos detalhes. Seus contos frequentemente se desenrolam como pequenos enigmas, convidando o leitor a desvendar seus significados ocultos e suas múltiplas camadas de interpretação. 

Cada palavra parece cuidadosamente escolhida, cada frase meticulosamente construída para criar um impacto emocional duradouro.

Sua contribuição para a literatura brasileira é inestimável, e seu legado perdurará por gerações, inspirando escritores e leitores a explorar as profundezas da alma humana e a desvendar os mistérios do mundo ao nosso redor.

Em suma, Lygia Fagundes Telles é muito mais do que uma escritora talentosa: ela é uma artista que ilumina os cantos escuros da existência humana com sua prosa brilhante e sua visão perspicaz. Sua obra continua a nos desafiar, emocionar e inspirar, convidando-nos a refletir sobre o que significa ser humano em um mundo em constante mudança.

Conheça Lygia Fagundes Telles

Antes do Baile Verde

Reunião de narrativas escritas entre 1949 e 1969, “Antes do Baile Verde” é considerado por muitos críticos o livro de contos literariamente mais bem-sucedido de Lygia Fagundes Telles.

Leia o livro aqui.

As Meninas

“As Meninas” conta a história de três jovens universitárias, no auge de 1973, que começam sua vida adulta de maneiras bem diversas. Lygia Fagundes Telles constrói um romance pulsante e polifônico, que capta como poucos o espírito daquela época conturbada e de vertiginosas transformações, sobretudo comportamentais.

Saiba mais aqui

Ciranda de Pedra

Quando um casal de classe média se separa, a caçula, Virgínia, é a única das três filhas que vai morar com a mãe. É do ponto de vista dessa menina deslocada e solitária que se narram os dramas ocultos sob a superfície polida da família. 

Loucura, traição e morte são as forças perversas que animam esse singular romance de formação, que já na época de seu lançamento, em 1954, chamou a atenção para o talento e a originalidade da literatura de Lygia Fagundes Telles. 

Clique e leia.

Os Contos

Lygia Fagundes Telles é considerada pela crítica uma das maiores escritoras brasileiras e, sobretudo, uma contista extraordinária. Pela primeira vez, o leitor tem acesso à mais completa antologia de contos da autora, em uma edição especial que inclui, além de suas principais coletâneas, diversos escritos esparsos, há tempos fora de catálogo. Dos primeiros contos, concebidos na juventude, até sua produção mais madura, Lygia exibe sua maestria na narrativa curta, sempre com sensibilidade e sutileza, em textos impecáveis.

A Noite Escura e mais eu

Publicado originalmente em 1995, A Noite Escura e Mais Eu (título tirado de um verso de Cecília Meireles) enfeixa nove contos breves de alta intensidade dramática e extrema precisão literária. Usando ora a primeira, ora a terceira pessoa narrativa, Lygia Fagundes Telles parece colher sempre suas personagens no contrapé, em situações-limite que revelam o que elas têm de mais secreto e incomunicável. 

Leia agora.

A Estrutura da Bolha de Sabão

Esta reunião de oito contos escritos por Lygia Fagundes Telles em épocas e circunstâncias diversas atesta não apenas a excelência da prosa da autora mas também a sua condição de notável “pesquisadora de almas”, conforme a definiu o crítico Nogueira Moutinho.

Para saber mais, acesse e leia o livro.


Para ler mais livros de Lygia Fagundes Telles, acesse o site ou app da Tocalivros!

Deixe um comentário