Top 5 audiolivros: Ficção e Não-Ficção.

Olá Ouvintes Tocalivros.

Nossa equipe está reunida para um momento muito especial. Pensando em vocês, amantes de audiolivros, nos dedicamos ao máximo para trazer os melhores conteúdos e títulos para vocês. Continuar lendo Top 5 audiolivros: Ficção e Não-Ficção.

Como gostar de ler obras obrigatórias do vestibular?

Sabemos que a carga de leituras obrigatórias para quem vai prestar o vestibular é muito alta, sem contar com a quantidade de conteúdos disciplinares cobrados nas provas. Já pensou em estudar tudo isso de forma otimizada, enquanto você estiver na academia, indo para a escola, esperando o ônibus, dentro do metrô ou qualquer outro lugar em que estiver? Então continua aqui com a gente que vou te explicar como isso é tão fácil.

Selecionamos alguns livros importantes da literatura que são de leitura obrigatória para o Enem e outros vestibulares 2018. Já pensou que ótimo seria ouvir as histórias desses livros de forma interpretada e atraente para que você mergulhe junto com os personagens? Pois é, agora você pode! Basta colocar seu fone de ouvido e em poucas horas dar um ‘check ’ check  em seu cronograma de ‘Estudos pré-vestibular’

Confira nossas dicas de como se preparar para o vestibular e ter ótimos resultados, clicando aqui.

A seguir, confira a lista de leitura fundamental para o vestibular, como fuvest, unicamp, unesp, unifesp, UFRJ, PUC, Mackenzie entre outras.

Memórias Póstumas de Brás Cubas

memoriasConsiderada uma das obras mais revolucionárias e inovadoras da literatura brasileira, Memórias Póstumas de Brás Cubas escrito por Machado de Assis, é um dos livros que se encontra na lista de obrigatória para o vestibular. Narrado em primeira pessoa, é a autobiografia de Brás Cubas, que escreve suas memórias depois de falecido, inovando com a ideia do defunto que escreve livros.

Quincas Borba

quincas-borba-machado-de-assis-rafael-cortez-100077Após a morte de Quicas Borba, narrado no livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, a fortuna herdada por ele foi deixada para seu amigo Rubião, professor de Barbacena, cidade onde residia o filósofo. Neste audiolivro, Machado de Assim deixa de lado a liberdade formal que havia empregado em “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. Desta vez, ele optou por narrar os fatos em terceira pessoa.

A Morte e a Morte de Quincas Berro D’água

300x300-resize_of_a_morte_e_a_morte_de_quincas_berro_daguaTexto enxuto e denso, poético e debochado, o audiolivro, A Morte e a Morte de Quicas Berro Dágua, é uma pequena obra de Jorge Amado. Conta a história da dupla morte de Joaquim Soares da Cunha. Teria ele morrido de morte natural, no leito pobre de um cortiço da ladeira do Tabuão, ou embarcando para o outro mundo algumas horas depois, no mar da Bahia, onde sempre desejara ser sepultado? Ou teria partido antes, quando caiu na vida dissoluta da capital baiana? No caixão, Quincas ostenta um sorriso maroto. Estaria mesmo morto?

Cidade e as Serras

a-cidade-e-as-serras-eca-de-queiros-paulo-vinicius-100196O livro que melhor representa a última fase do realista Eça de Queirós. A obra, A Cidade e as Serras, apresenta uma comparação entre Paris e Tormes (zona rural de Portugal). Escrito em primeira pessoa, a obra tem um narrador-personagem, José Fernandes, que relata a vida do protagonista Jacinto de Tormes. Na narrativa, o narrador destaca os episódios diretamente relacionados a Jacinto de Tormes, deixando suas próprias atitudes apenas como elos da história vivida pelo protagonista.

Iracema

iracUm ponto importante da obra, Iracema de José de Alencar, é que personagens fictícios se misturam com elementos históricos que realmente aconteceram no Ceará do século XVII. O objetivo do autor com esse recurso era trazer uma importância nacionalista à sua produção, mas sem deixar de lado a estética romântica, criando uma trama amorosa totalmente fictícia.

Dom Casmurro

dom-casmurro-machado-de-assis-rafael-cortez-100055O audiolivro Dom Casmurro, de Machado de Assis, retrata dois momentos distintos: a convivência com a amiga Capitu na adolescência e seu casamento, época marcada pelo ciúme de Bentino diante da suspeita de traição de Capitu com seu melhor amigo, Ezequiel Escobar.  Sofrendo com esta hipótese, Bentinho se torna cada vez mais isolado, daí a alcunha Casmurro.

Contada na primeira pessoa do singular por Bentinho, já viúvo. Todas as informações são apresentadas ao ouvinte pelo ponto de vista do narrador, oferecendo apenas um lado da história. Como Capitu já está morta, não pode se defender das acusações de adultério, levando o ouvindo a assumir como verdadeira a versão de Bentinho. Mas vale lembrar que a suposta traição nunca é confirmada, deixando o fato em aberto na obra de Machado.

Memórias de um Sargento de Milícias

memorias-de-um-sargento-de-milicias-manuel-antonio-de-almeida-gustavo-rocha-100064Esta obra surgiu como um romance de folhetim, ou seja, em capítulos, publicado semanalmente no jornal Correio Mercantil. Os folhetins não indicavam quem era o autor. Apesar do título de “memórias”, o romance não é narrado pelo personagem Leonardo, e sim por um narrador onisciente em terceira pessoa, que tece comentários no desenrolar dos acontecimentos. As aventuras de Leonardo, conduz o protagonista a apuros dos quais ele sempre se salva, graças a seus protetores. Leonardo é um personagem fixo no romance e suas características básicas não mudam.

Macunaíma

macunaima-jefferson-brito-101316macunaima-jefferson-brito-101316Mário de Andrade publicou Macunaíma em 1928, uma das obras mais importantes da 1ª Geração Modernista. Macunaíma encarna diversos heróis da literatura popular brasileira. Não tem preconceitos, não se prende à moral de uma época. Dessa maneira, concentra em si próprio, todas as virtudes e defeitos que nunca se encontram reunidos em um único indivíduo.

O herói sem nenhum caráter é um canto vazado na língua portuguesa falada em nosso país. Acompanhado de seus irmãos, ele viaja para o Sul em busca do amuleto, que estava em poder do fazendeiro peruano Venceslau Pietro Pietra. Encantado com a “civilização moderna”, Macunaíma, de certa forma, se vê dividido entre seu reino e as maravilhas de “São Paulo, a maior cidade do universo”

Cortiço

o-cortico-300x300Obra pertencente à escola literária do Naturalismo e conta no contexto do Rio de Janeiro do século XIX. Lançado no ano de 1890 e, até hoje faz parte das obras literárias que compõe o universo dos vestibulares no Brasil, dada a riqueza em retratar a sociedade, seus valores ou mesmo a falta deles. Tendo como cenário uma habitação coletiva, o romance difunde as teses naturalistas, que explicam o comportamento dos personagens com base na influência do meio, da raça e do momento histórico. O audiolivro conta a saga de João Romão rumo ao enriquecimento.

Auto da Barca do Inferno

auto-da-barca-da-inferno-varios-101358Essa obra representa o juízo final católico de forma satírica e com forte apelo moral. O cenário é uma espécie de porto, onde se encontram duas barcas: uma com destino ao inferno, comandada pelo diabo, e a outra, com destino ao paraíso, comandada por um anjo. Os que morrem chegam e são acusados pelo Diabo, mas apenas o Anjo poderá ou não absolvê-los.

A obra é escrita em versos rimados, fundindo poesia e teatro, fazendo com que o texto, cheio de ironia, trocadilhos, metáforas e ritmo, flua naturalmente.

Lista essencial de audiolivros clássicos literatura portuguesa

Provavelmente você já ouviu falar de Machado de Assis, Brás Cubas, Mario de Andrade, Fernando Pessoa entre muitos outros autores clássicos. Você saberia listar os livros mais importantes da literatura portuguesa? Existem muitos livros que você não pode deixar de ler na vida!

Selecionamos os melhores audiolivros dos melhores autores do país. São clássicos que estão sempre presentes nos vestibulares Brasil afora.

Conheça um pouco mais dos autores e suas obras:

mario-de-andradeMario de Andrade

Escritor brasileiro, nasceu na rua da Aurora, São Paulo, em 1893. Estudou música no Conservatório de São Paulo. Crítico de arte em jornais e revistas. Teve papel importante na implantação do Modernismo no Brasil. Foi amigo inseparável de Anita Malfatti e Oswald de Andrade. Foi diretor do departamento de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Seu romance “Macunaíma” foi sua criação máxima, levada para o cinema.  A obra é considerada um indianismo moderno e é escrita sob a ótica cômica. Critica o Romantismo, utiliza os mitos indígenas, as lendas, provérbios do povo brasileiro e registra alguns aspectos do folclore do país até então pouco conhecidos. O audiolivro possui estrutura inovadora, não seguindo aspectos ilógicos, fantasiosos e lendas.  Andrade tenta escrever um romance que represente o multi-culturalismo brasileiro. A obra valoriza as raízes brasileiras e a linguagem dos brasileiros, buscando aproximar a língua escrita ao modo de falar paulistano.

Veja só a diferença de um audiolivro apenas lido, e um audiolivro com efeitos sonoros, trilha musical e narração interativa que levam o ouvinte ao universo multi cultural brasileira.

Veja só a diferença entre audiolivro “Macunaíma” de um canal do Youtube e o “Macunaíma” produzido aqui em nossos estúdios:

 

machado-de-assisMachado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu podre e epilético. Filho de Francisco José de Assis, neto de escravos alforriados. Foi criado no morro do Livramento, no Rio de Janeiro. Ajudava a família como podia, não tendo frequentado regularmente a escola. Sua instrução veio por conta própria, devido ao interesse que tinha em todos os tipos de leitura. Graças a seu talento e uma enorme força de vontade, superou todas essas dificuldades e tornou-se um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos.

Foi na década de 1880, sua obra sofreu uma verdadeira revolução, em termos de estilo e de conteúdo, inaugurando o Realismo na literatura brasileira.

Os romances “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Quincas Borba”, “Dom Casmurro” entre outros, revelam o autor em sua plenitude.

o-alienista-machado-de-assis-rafael-cortez-100021O Alienista, de Machado de Assis

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

 

dom-casmurro-machado-de-assis-rafael-cortez-100055Dom Casmurro, de Machado de Assis

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

quincas-borba-machado-de-assis-rafael-cortez-100077Quincas Borba, de Machado de Assis

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

memoriasMemórias Póstumas de Brás Cubas

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

aluisio-azevedoAluísio Azevedo

Nasceu em São Luís, Maranhão. Matriculou-se no Liceu Maranhense e dedicou-se ao estudo da Pintura. Com 19 anos foi levado pelo irmão para o Rio de Janeiro. Começou a estudar na Academia Imperial de Belas-Artes, onde revelou seus dons para o desenho. Logo passou a colaborar com caricaturas e poesias, em jornais e revistas.

Com a morte do pai, em 1879, Aluísio volta para São Luís e se dedica a literatura. Publica seu primeiro romance, “Uma Lágrima de Mulher”, em 1880, onde se mostra exageradamente sentimental e de estilo romântico. Em 1881 edita “O Mulato”, romance que iniciou o Movimento Naturalista no Brasil. Preocupado com a realidade cotidiana, seus temas prediletos foram: a luta conta o preconceito da cor, o adultério, os vícios e o povo humilde. Na obra “O Cortiço”, Aluísio retrata o aumento da população no Rio de Janeiro. Ouça um trecho dessa obra, ou clique aqui para ouvir o audiolivro completo.

o-cortico-300x300O Cortiço, de Aluísio Azevedo 

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

fernando-pessoaFernando Pessoa

Nasceu em Lisboa em 1888. Ficou órfão de pai aos 5 anos de idade. Seu padrasto era o comandante João Miguel Rosa, que foi nomeado cônsul de Portugal em Durban, na África do Sul. Um dos mais importantes poetas da língua portuguesa, Fernando Pessoa recebeu educação inglesa. Estudou em colégio de freira e na Durban High School. Em 1901 escreveu seus primeiros poemas em inglês. Fernando foi vários poetas ao mesmo tempo. Tendo sido “plural” como se definiu, criou vários poetas, que conviviam nele. Cada um tem sua biografia e traços diferentes de personalidades. Os poetas não são pseudônimos e sim heterônimos, isto é, indivíduos diferentes, cada qual com seu mundo próprio, representando o que angustiava ou encantava seu autor. Criou entre outros heterônimos, Alberto Caeiro da Silva, Álvaro de Campos, Ricardo Reinas e Bernardo Soares.

Veja a série de audiolivro os poemas de Fernando Pessoa e seus três principais heterônimos com quatro atores diferentes.

alberto-caieiro-x-alberto-guzik-alberto-guzik-101377Aberto Caiero X Alberto Guzik 

Ouça um trecho, ou clique aqui para ouvir o audiolivro completo.

fernando-pessoa-x-helio-cicero-helio-cicero-101378Fernando Pessoa X Hélio Cícero 

Ouça um trecho, ou clique aqui para ouvir o audiolivro completo.

graciliano-ramosGraciliano Ramos

Escritor brasileiro. O romance “Vidas Secas” foi sua obra de maior destaque. É considerado o melhor ficcionista do modernismo e o prosador mais importante da segunda fase do Modernismo. Suas obras embora tratem de problemas sociais do Nordeste brasileiro, apresentam uma visão crítica das relações humanas, que as tornam de interesse universal.

“Histórias de Alexandre” é um audiolivro de contos de Graciliano Ramos. Sintetizando histórias coletadas do folclore alagoano, Graciliano reúne neste livro contos e fanfarronices de um típico mentiroso do sertão.

historias_de_alexandreHistórias de Alexandre, de Graciliano Ramos

Ouça um trecho, ou clique aqui para este audiolivro completo.

jorge-amadoJorge Amado

Escritor brasileiro, o romance “Gabriela Cravo e Canela” recebeu os prêmio Jabuti e Machado de Assis. Seus livros foram traduzidos para quase todas as línguas. Foi Membro da Academia Brasileira de Letra, ocupando a cadeira de nº 23. Iniciou sua carreira de escritor com obras de cunho regionalista e de denúncia social. Passou por várias fases até chegar na fase voltada para crônica de costumes. Começou com 14 anos a participar da vida literária, sendo um dos fundados da “Academia dos Rebeldes” grupo de jovens que desempenharam importante papel na renovação das letras baianas.

A morte e a Morte de Quincas Berro D’Água, considerado um clássico da literatura brasileira, o audiolivro conta a história de Joaquim Soares da Cunha, respeitável cidadão casado e com filhos, que leva uma vida pacata de funcionário público.

300x300-resize_of_a_morte_e_a_morte_de_quincas_berro_daguaA Morte e a Morte de Quincas Berro D’Agua, de Jorge Amado

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

jose-de-alencarJosé de Alencar

Romancista, dramaturgo, jornalista, advogado e político brasileiro. José de Alencar foi um dos maiores representando da corrente literária indianista.

Destacou-se na carreira literária com a publicação do romance “O Guarani”, em forma de folhetim, no Diário do Rio de Janeiro, onde alcançou enorme sucesso. José de Alencar criou uma literatura nacionalista onde se evidencia uma maneira de sentir e pensar tipicamente brasileiras. Suas obras são especialmente bem-sucedidas quando o autor transporta a tradição indígena para a ficção.

Sua obra “A Viuvinha” é um romance urbano onde o final feliz prevalece. A obra inclui-se entre os chamados romances urbanos, que retratam os costumes da sociedade carioca do Segundo Reinado. Neste audiolivro o autor traz um personagem principal que é um herói que supera tudo, é rico, honesto e na flor da idade. Tudo isso situado em uma sociedade que já se mostrava desigual. Outro romance de José de Alencar é o “Til” um romance regionalista de Alencar tem sua ação numa fazendo situada no interior paulista, por volta de 1846. “Iracema” é outro romance, publicado em 1865, fazendo parte da trilogia indianista do autor.

Veja a seguir todas essas obras em audiolivro:

a-viuvinha-jose-de-alencar-leni-100029A viuvinha, de José de Alencar

 Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

til-300x300_1Til, de José de Alencar

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

iracaltaIracema, de José de Alencar

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

lima-barretoLima Barreto

Escritor e jornalista brasileiro, filho de pais pobres e mestiços sofreu esse preconceito em toda sua vida. Logo cedo ficou órfão de mãe. Estudou no Colégio Pedro II e ingressou na Escola Politécnica no curso de Engenharia. Seu pai enlouqueceu e foi internado, obrigando Lima Barreto a abandonar o curso de Engenharia. Para sustentar a família, empregou-se na Secretaria de Guerra e ao mesmo tempo, escrevia para vários jornais do Rio de Janeiro. Ao produzir uma literatura inteiramente desvinculadas dos padrões e do gosto vigente, recebe severas críticas dos letrados tradicional. Explora em suas obras as injustiças sociais e as dificuldades das primeiras décadas da República.

Afonso Henrique de Lima Barreto nasceu no Rio de Janeiro em 1881. O audiolivro a seguir é um apanhado de 20 contos de Lima Barreto. Seus contos já mostraram algumas características do conto moderno da literatura brasileira, entre elas a simplicidade e a objetividade. Contém alguns de seus principais contos, todos eles marcados pela observação crítica da sociedade e dos costumes de sua época, mostrados com humor e ironia.

300x300-resize_of_contos_de_lima_barretoContos de Lima Barreto, de Lima Barreto

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.

eca-de-queirozEça de Queiroz

Escritor português, seu primeiro grande trabalho foi “O Crime do Padre Amaro” um marco inicial do Realismo em Portugal. Considerado o melhor romance realista português do século XIX. Foi o único romancista português que conquistou fama internacional nessa época. Que faz uma crítica violenta da vida social portuguesa, denuncia a corrução do clero e da hipocrisia dos valores burgueses. Depois de um tempo, surge uma nova fase literária, em que Eça deixa transparecer uma descrença no progresso. Manifesta a valorização das virtudes nacionais e a saudade da vida no campo. É o momento de um dos romances “A Cidade e as Serras”.

a-cidade-e-as-serras-eca-de-queiros-paulo-vinicius-100196A Cidade e as Serras, de Eça de Queiroz 

Ouça um trecho, ou clique aqui para o audiolivro completo.